Carne de supermercado, alimentos pré-embalados ou pré-embalados?

Caro Dário bom dia,

Apresento o caso da venda de embalagens de carne (picada ou fatiada), expostas no balcão frigorífico do açougue de um grande supermercado:

  • a carne, transformada no açougue do próprio supermercado, é embalada em bandejas de isopor cobertas com filme transparente,
  • os rótulos mostram o logotipo do supermercado, o tipo de carne (fatiada ou picada), quantidade (gramas), temperatura de armazenamento,
  • o lote indicado no rótulo coincide com o do produto a granel que entra antes do processamento e, no entanto, falta a data de validade,
  • podem, portanto, ser os chamados alimentos pré-embalados, como hipotetizado pelo supermercado?

Muito Obrigado,

rosário


O advogado respondeu. Dario Dongo e Francesca Rubinetti (1)

As embalagens de carne em questão não se qualificam como 'alimentos pré-embalados'. De fato, alimentos embalados a pedido do consumidor e alimentos pré-embalados para venda direta estão excluídos desta definição (regulamento da UE 1169/11, artigo 2.2.e, paráfrase final). (2) Trata-se, portanto, de alimentos pré-embalados, sujeitos a um número limitado de informações obrigatórias nos termos do Decreto Legislativo 231/17, artigo 19.º. (3)

No entanto, nos casos indicados, deve-se observar o seguinte.

1) Lote e/ou lote de gêneros alimentícios

O jogo o lote a que pertencem os produtos alimentares:

  • 'responde à preocupação de garantir uma melhor informação sobre a identidade dos produtos',
  • identificar 'conjunto de unidades de venda de um género alimentício, produzido, fabricado ou embalado em circunstâncias praticamente idênticas',
  • não é exigida, na fase de distribuição ao consumidor final, quando 'os géneros alimentícios não são pré-embalados, são embalados a pedido do comprador ou são pré-embalados para venda imediata'. (4)

2) Lote, método de indicação e rastreabilidade

A indicação do lote é fornecido através de um código alfanumérico precedido pela letra "L", 'a menos que sejam claramente distinguidos das outras indicações no rótulo«(Diretiva 2011/91/UE, artigo 3.2). E pode ser substituído pela indicação do prazo de validade ou do prazo mínimo de conservação, desde que expressem o dia, além do mês. Vice-versa, as datas de produção e/ou embalagem e/ou pré-embalagem não são permitidas, como vimos. (5)

A função do lote é garantir a rastreabilidade dos alimentos individuais, que por sua vez é um requisito essencial para a gestão de crises de segurança alimentar (EC Reg. 178/02, artigos 18 e 19). O operador responsável pela informação ao consumidor relativa aos produtos alimentares - o distribuidor, no caso em questão (6) - deve, portanto, poder rastrear imediatamente as circunstâncias espaço-temporais da produção e/ou embalagem a partir do código do lote.

3) Alimentos pré-embalados, qual lote?

Os critérios gerais postular que todas as informações prestadas aos consumidores sobre os produtos alimentares - obrigatórias ou facultadas de forma voluntária - respeitam sempre e em qualquer caso as regras que lhes são estabelecidas. (7)

No presente caso, a coincidência dos lotes de embalagens individuais de carne (picada e fatiada) com o lote de origem pode ser ilegítima, caso tenham sido feitos e/ou embalados em dias diferentes ou em qualquer caso em circunstâncias não idênticas.

4) Conclusões

A aparente conformidade do caso em questão al Regulamento de Informações sobre Alimentos (UE Reg. 1169/11) e o Decreto Legislativo 231/17 não podem isentar o operador de garantir a consistência do código do lote com 'um conjunto de unidades de vendas... produzidas, fabricadas ou embaladas em circunstâncias praticamente idênticas'.

A solução mais lógica consiste em inserir uma data de validade no rótulo, precedida das palavrasser consumido por'. Com o objetivo de solucionar eventuais não conformidades na identificação do lote e ao mesmo tempo fornecer informações sempre úteis aos consumidores.

Cordialmente

Dário e Francesca

Nota

(1) Francesca Rubinetti. Médico veterinário da área de serviço veterinário B da ASL Cidade de Turim. Trata da inspeção de alimentos de origem animal. Co-autor de inúmeras publicações científicas sobre segurança alimentar

(2) Carnes curadas soltas e pré-embaladas sem prazo de validade ou TMC? O advogado Dario Dongo responde. FARE (Requisitos Alimentares e Agrícolas). 2.9.22

(3) Dário Dongo. Alimentos a granel e pré-embalados, comunidadeGIFT (Grande Comércio de Comida Italiana). 19.3.18

(4) Diretiva 2011/91/UE, relativas às indicações ou marcas que permitem identificar o lote a que pertence um género alimentício. Na Eur-Lex, https://bit.ly/3BooDOG. Ver considerando 4, artigo 2.2.b. Ver também Decreto Legislativo 231/17, artigo 17

(5) Dir. 2011/91 / UE, artigo 5. V. Código do lote na etiqueta, responde o advogado Dario Dongo. FARE (Requisitos Alimentares e Agrícolas). 2.2.18

(6) Endereço do operador responsável, o advogado Dario Dongo responde. FARE (Requisitos Alimentares e Agrícolas). 15.5.20

(7) Reg. UE 1169/11, artigo 36.1. 'Se fornecidas de forma voluntária, as informações sobre alimentos referidas no artigo 9.º e no artigo 10.º devem cumprir os requisitos estabelecidos no Capítulo IV, Secções 2 e 3'. Ver também o Artigo 7 (Práticas de informações justas)



Translate »