Declaração nutricional obrigatória, a partir de 14.12.16. O ABC das regras a serem aplicadas

A partir de 14 de dezembro de 2016, quase todos os produtos alimentícios (1) devem ser embalados com rótulos contendo uma declaração nutricional específica, conforme estabelecido no Regulamento (UE) 1169/11. Abaixo está um resumo das regras a serem aplicadas.

Campo de aplicação. A tabela deve ser aposta na rotulagem dos alimentos pré-embalados destinados à venda apenas ao consumidor final (aos quais as comunidades são equivalentes). Se os produtos se destinarem à chamada venda B2B, a informação deve em qualquer caso ser prestada, ainda que através de documentos que acompanhem ou antecedam a entrega da mercadoria.

A declaração nutricional por outro lado, não é exigida nos produtos pré-embalados, nem nos letreiros de venda de produtos a granel, nem nos registos e ementas dos estabelecimentos públicos.

Valores nutricionais, fontes. Os valores a declarar são "valores médios" que podem ser extraídos, alternativamente, de:

- análise laboratorial (em alíquotas significativas de diferentes amostras) do alimento (2),
- cálculo "feito a partir de valores médios (conhecidos ou reais) relativos aos ingredientes utilizados",
- cálculo realizado a partir de dados "geralmente estabelecidos e aceitos" 3.

Observe que o cálculo realizado a partir dos ingredientes, pode ser distorcido pelas mudanças nos nutrientes que resultam do processo de fabricação (por exemplo, fermento, cozimento, tempero).

O uso da chamada bibliografia, por sua vez, não é possível em relação aos alimentos compostos que apresentam variações particulares de acordo com a receita utilizada por cada operador (por exemplo, massas recheadas, assados, margarinas, salgadinhos e salgadinhos, sorvetes).

Ainda é necessário manter registros das análises e/ou cálculos realizados, incluindo as fichas técnicas dos fornecedores.

Declaração nutricional. A declaração nutricional obrigatória deve incluir, pela ordem: energia (kJ, kcal), gorduras, dos quais ácidos gordos saturados, hidratos de carbono, dos quais açúcares, proteínas, sal. Este último valor deve ser entendido como "equivalente a sódio", ou seja, corresponde ao teor total de sódio (de qualquer fonte) contido no produto, multiplicado por 2,5. As fibras, que em qualquer caso contribuem para o cálculo da energia (na proporção de 2 kcal/g), podem ser inseridas na tabela antes das proteínas (4).

Numa base "relativamente" voluntária - uma vez que é obrigatório se um "reivindicarNutricional em alguns dos elementos relativos - gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas (após as gorduras saturadas), polióis (5) e amido (após açúcares) podem ser adicionados em ordem.

Também podem ser adicionados, quando presentes em quantidades significativas (6), na lista após sal, vitaminas e minerais. Este último deve ser declarado tanto em valor absoluto quanto em porcentagem dos valores nutricionais de referência (7).

Arredondamentos e tolerâncias. A Comissão Europeia definiu em diretrizes específicas os critérios de arredondamento e as tolerâncias sobre os valores a serem exibidos na declaração nutricional (8), cuja aplicação varia de acordo com o nutriente e suas quantidades.

Quando algum dos valores for inferior aos limites definidos, que variam de acordo com os nutrientes individuais, (9) é possível indicar "0" ou "0,5" (gorduras, carboidratos, açúcares, polióis, amido, fibras, proteínas), "0" ou "< 0,1" (saturado , ácidos graxos monoinsaturados e poliinsaturados)," 0 "ou" <0,01 "(sal indetectável ou <0,0125) .10

As figuras são mostradas em unidades quando superior a 10, com apenas uma casa decimal se inferior a 10 (mas superior a 0,5 para gorduras, carboidratos, açúcares, polióis, amido, fibras, proteínas e superior a 0,1 para gorduras saturadas, monoinsaturadas e poliinsaturadas). Para sal, se for maior que 1, apenas uma casa decimal é usada, se for menor que 1, duas casas decimais.

A energia deve ser sempre expresso com números inteiros e seu valor não está sujeito a tolerâncias, pois seu cálculo deve ser feito com base nos nutrientes declarados, seguindo o arredondamento relativo (11).

Vitaminas e minerais, dependendo do caso, às vezes devem ser indicados com três algarismos significativos (vitamina A, ácido fólico, cloro, cálcio, fósforo, magnésio, iodo e potássio), pelo menos dois algarismos significativos para os demais micronutrientes.

Expressão por 100g/ml e por porção. A declaração nutricional deve sempre referir-se a 100 gramas ou mililitros de produto. De forma voluntária, podem ser acrescidos os valores relativos à porção, claramente identificados por peso ou volume. Caso se refira à porção, também é obrigatório indicar o número de porções contidas na embalagem (com uma frase como “contém X porções”).

Dario Dongo

Nota

1 Sem prejuízo dos listados no Anexo V do regulamento (UE) 1169/11

2 Para otimizar custos, uma única análise pode ser realizada na mistura de várias amostras provenientes de diferentes lotes de produção (por exemplo, "amostra composta por um pool de 3 lotes diferentes")

3 Esses dados devem ser extraídos de fontes autorizadas, por exemplo. tabelas de composição de alimentos elaboradas pelo CREA, antigo INRAN, http://nut.entecra.it/646/tabelle_di_composizione_degli_alimenti.html

4 Sugere-se inserir o teor de fibras na tabela, sempre que estiverem presentes, tanto para facilitar a verificação da congruência do valor energético, quanto para informar o consumidor sobre um dado favorável e útil para compor uma dieta balanceada.

5 Lembre-se que os polióis têm um coeficiente de conversão igual a 2,4 kcal/g, e seu valor deve ser subtraído do dos carboidratos para o cálculo exato do valor energético. Também neste caso, onde estão presentes polióis, recomenda-se inseri-los na tabela para permitir a verificação da congruência da energia declarada.

6 De acordo com o reg. UE 1169/11, Anexo XIII, Parte A

7 Idem cs

8 Diretrizes CE, DG Sanco, dezembro de 2012

9 Cf. Diretrizes Min. Ps. 16.6.2016 sobre as tolerâncias analíticas aplicáveis ​​na fase de controle oficial

10 NB: quando o relatório de teste indica valores inferiores aos limites de detecção do método analítico, o valor é de fato zero

11 NB: os coeficientes de conversão estabelecidos para cada nutriente no Anexo XIV do reg. A UE 1169/11 deve ser aplicada separadamente, para kJ e kcal, para efeito de cálculo do valor energético. Consequentemente, é proibido calcular a energia em kJ convertendo o valor da kcal



Translate »